Já ouviu falar em kamasutra? conheça as melhores posicões

Você também costuma associar o Kamasutra a uma série de posições sexuais mirabolantes, acrobáticas e mais dolorosas do que prazeirosas? Escrito no século 4 pelo teólogo indiano Mallanaga Vatsyayana, os textos em sânscrito desse manual libidinoso (“sutra” significa ensinamentos e “kama”, amor) tinha mais de 700 páginas e descrições detalhadas de mais de 500 variações possíveis para um casal experimentar.

–inclusive beijos Os famosos desenhos não faziam parte da obra original –foram desenhados muito tempo depois–, mas povoam há tempos as fantasias de homens e mulheres. “E, embora o livro tenha sido escrito exclusivamente para os homens nobres da Índia, as necessidades femininas não foram ignoradas.

Muito pelo contrário”, conta a terapeuta sexual Leila Cristina, autora de “O Grande Livro do Amor e Sexo” (Ed. Literare). “O autor relata, detalhadamente, instruções corretas para a excitação da mulher”, completa.

A verdade é que, de fato, há certas posições que exigem mesmo uma boa flexibilidade. A maioria delas, porém, dá para praticar tranquilamente, sem a necessidade de um condicionamento físico exemplar. A seguir,

a terapeuta sexual sugere algumas posições ideais para serem incorporadas na rotina de qualquer garota que queira novidades na cama, sem complicações: Se você tem pressa: Gaivotas ao Vento

Na maioria das posições com o homem por cima, o pênis penetra por baixo da vagina. Nessa, porém, o pênis e a vagina ficam paralelos –o que intensifica as sensações para o casal.

O cara deve se ajoelhar entre as suas pernas e ficar com as costas retas para ter o ângulo de penetração correto.

Deite com o bumbum apoiado confortavelmente na beira da cama e, se sua altura permitir, apoie os pés no chão. Dica: o ângulo da penetração muda, mas o clitóris recebe menos estimulação. Assim, cabe a você ou ao par excitá-lo.

Se você está cansada (ou bateu aquela preguiça): Dois Peixes

Da mesma maneira que um par de peixes se reproduz colocando suas caudas ao redor uma da outra, os amantes se deitam lado a lado. Depois da penetração, o homem usa a mão livre para pôr suas pernas sobre as dele, mudando a tensão entre o pênis e a vagina.

Mantenha as pernas juntas e apoie-as nas dele e você vai experimentar uma vibração diferente –principalmente no clitóris! Se você quer sentir “aquele” estímulo no ponto G: Posição dos Pés Erguidos

Deitada de costas, dobre as pernas e as encolha, nas palavras do “Ananga Ranga” (manual indiano de sexo lançado no século 15 inspirado pelo Kamasutra), “até os seus cabelos”.
Ou seja, encolha as pernas o máximo que puder.

O par a penetra de joelhos –e, como as mãos dele estão livres, pode acariciá-la à vontade. Se ele erguer os seus quadris com as mãos, pode penetrá-la em um ângulo que permite ao pênis estimular a parede vaginal frontal, bem onde fica escondidinho o altamente sensível ponto G. Se você quer inovar sem se machucar: O Aperto com os Dedos dos Pés

Primeiro, deite-se de costas para que ele a penetre ajoelhado entre as suas coxas. Ele se firma apertando a cama ou o chão com os dedos dos pés. Em seguida, ponham as mãos atrás do pescoço um do outro. Use as pernas para apertar a cintura do cara e puxá-lo em sua direção.

Por que essa posição é boa? O homem pode variar o ângulo da penetração simplesmente inclinando-se para mais perto ou mais longe de você, ampliando o repertório de sensações. Para quem quer dar um upgrade no básico de sempre: O Bicho da Seda Fazendo um Casulo

Deitada de costas na cama, erga as pernas e abra as coxas –parece o papai-mamãe de sempre, mas a proposta é expor o máximo possível o clitóris a uma forte estimulação.

Depois, ponha as mãos nos ombros do par, cruze os pés por trás das costas dele e faça movimentos para cima e para baixo em resposta aos do parceiro. Segundo os ensinamentos indianos, um dos grandes benefícios para a mulher é que, ao manter as pernas abertas, ela pode imaginar que a vagina é uma flor.

Então, quando estiver estimulada, deve experimentar visualizar essa flor se abrindo até atingir o clímax. “Esse tipo de imagem mental pode ajudar muitas mulheres a atingir ao orgasmo”, garante Leila Cristina.



Deixe um comentário